Translate

domingo, 26 de julho de 2015

Quanto você ganha?

Eu amo minha vó Fê. Sei que ela me ama também. Mas, incrível como ela consegue me deixar mal com seus comentários. Sempre falando daqueles que se deram "bem" ou seja, sempre falando dos netos que ganham dinheiro, que já se formaram ou que já compraram casa, carro, etc... De que adianta ela vir com esse papo pra cima de mim? Eu posso mudar o passado? Posso acelerar o futuro? E agora... ela fica perguntando sobre meu namorado, sobre o trabalho, sobre a faculdade dele...



Agora estou um pouco mais calma, refleti muito sobre esse situação que já é recorrente. Essa super valorização daqueles que que ganham em detrimento dos que fazem o bem. Quanto mais eu penso sobre isso, mais eu acho que não sou desse mundo. Não consigo viver uma vida pensando só em mim e no meu sucesso pessoal. Sei que devo buscar meu lugar no mercado de trabalho, vivo num país capitalista onde eu preciso de capital para sobreviver óbvio. Mas essa competitividade e essa vida cada vez mais estressante que estão querendo nos submeter nunca vai ser algo no qual irei me adaptar. Nunca vou me adaptar a essa realidade e sei que vou sofrer muito com isso. Não quero uma vida de viver em busca do dinheiro. Quero uma vida livre e leve, uma vida que eu possa ser feliz no pouco e que eu consiga fazer feliz o máximo de pessoas possíveis. Quero servir. Quero ajudar.  Quero amar...

Voltando a minha vovó, às vezes penso em andar menos na casa dela pois saio de lá me sentindo mal, me sentindo um ser inferior. Mas ela apenas reproduz o mundo que vive, e como ela se preocupa, ela precisa ver a minha adaptação a esse mundo para ficar tranquila. Quanto ao meu namorado, tenho dúvidas sobre o futuro dele, pois ele mesmo tem dúvidas. Ele tem dificuldades para manter o foco e para se dedicar aos estudos e não luta com tanta garra pra modificar isso, em contraposição ele está buscando um novo ramo profissional que possa ganhar melhor, está pensando em morar sozinho, assuntos para outros momentos. Meu namorado também tem tdah. Preciso ser forte diante desse preconceito grande que existe por eu ainda não ser formada, morar com o pai, ter 27 anos e não ter trabalho fixo. Pra muitos eu sou inferior por isso, já pra outros, anjos, grandes amigos, eu sou especial somente por existir.

Esquema:

Ritalina 20 mg
Depakote 500 mg
Venlafaxina 75 mg

Nenhum comentário:

Postar um comentário